7 passos para videoaulas corporativas: do planejamento aos resultados

7 passos para videoaulas corporativas: do planejamento aos resultados

setembro 17, 2018 in Educação Corporativa, Vídeo

Não há como escapar. Os vídeos estão dominando a internet e o modo como as pessoas absorvem conteúdo.

Até 2020, de acordo com a gigante de TI e redes Cisco, a cada segundo, cerca de um milhão de minutos de vídeo será publicado na web. Assim, mais de 80% de todo o tráfego será motivado pelos vídeos.

Acompanhar essa tendência é o que muitas organizações estão fazendo, também na educação corporativa. As videoaulas crescem exponencialmente, estimuladas pela exigência das novas gerações em receber treinamentos mais dinâmicos, práticos e objetivos.

O vídeo na gestão de pessoas oferece uma interação produtiva entre alunos e professores, e é exatamente por essa razão que listamos os sete passos para que você comece, no curto prazo, a produzir cursos nesse formato tão bem recebido pelos colaboradores, atualmente.

Continue acompanhando o artigo e saiba como planejar, executar e coletar os resultados das videoaulas!

 

1. Conheça o seu público

Como você já deve saber, o papel de T&D é desenvolver habilidades e competências faltantes no quadro de funcionários. Mas, como descobrir quais são elas?

Seus alunos sempre terão críticas e sugestões valiosas para os conteúdos dos seus cursos em vídeo. Com base nesses feedbacks, inclusive, você consegue definir melhor quem é o seu público-alvo.

Escutar os colaboradores frequentemente fará você produzir vídeos sempre aderentes às necessidade e anseios do momento, tanto individuais como das equipes.

 

2. Domine o conteúdo apresentado

Pode parecer óbvio, porém é importante reforçar: seu público espera conteúdo de qualidade! Isso não significa que você tenha que produzir algo de nível hollywoodiano, mas sim entregar aquilo que os alunos esperam.

Portanto, é fundamental conhecer em profundidade todos os temas que pretende elencar para as videoaulas. Se existe um gap de um novo processo de vendas, por exemplo, extraia do gerente da área o que deve ser repassado ao time, ou ainda, peça para ele mesmo gravar a aula!

E não se esqueça de um bom roteiro. Coloque no papel tudo o que tem em mente para a gravação. Isso dará mais segurança para quem está na frente das câmeras, além de ajudar no estágio da edição.

 



3. Configure uma boa estrutura de gravação

Como dito no tópico anterior, não é preciso de algo megalomaníaco nas suas videoaulas. O essencial para garantir um conteúdo de qualidade é a tríade equipamento, local de gravação e edição.

Hoje, um smartphone de modelo intermediário já capta áudio e vídeo de maneira bem satisfatória, desde que em um ambiente com boa luminosidade, silencioso e agradável aos olhos do espectador. Some a tudo isso um editor simples de vídeo, sem necessidade de conhecimentos profundos de edição – sim, é possível encontrar.

É claro que você pode investir em uma câmera, microfone e iluminação profissionais, dependendo das pretensões e do orçamento. Aliás, no YouTube está cheio de tutoriais nesse sentido, caso queira algo mais arrojado.

Se no final das contas não estiver confortável em fazer tudo sozinho, ou ainda tiver uma demanda importante que necessite maior primor na produção, não hesite em procurar uma produtora especializada.  Hoje em dia existem orçamentos para todos os bolsos com níveis de qualidade final compatíveis.

 

4. Tenha uma plataforma para distribuir o conteúdo

Ter um local para concentrar seus vídeos e aplica-los em trilhas de conhecimento funciona muito melhor que passá-los individualmente. É, então, que surge a importância de um sistema de LMS (Learning Management System ou Sistema de Gestão de Aprendizagem).

Por meio dele, você consegue acompanhar, colaborador a colaborador, quem assistiu a uma sequência de vídeos na totalidade e quem está defasado. Hoje, as boas plataforma inclusive sabem quanto do vídeo foi realmente assistido e só liberam as próximas atividades depois dessa confirmação.  Isso garante o engajamento e ajuda a justificar o famoso ROI, ou retorno do investimento.

 

5. Faça uso de materiais complementares

Vídeo é tendência, todo mundo gosta, mas é preciso diversificar sempre. O sucesso do seu curso passa por oferecer materiais que complementem os conteúdos em vídeo.

Como dificilmente você conseguirá concentrar tudo o que deseja nas gravações, considere produzir testes, quizes, questionários, leituras e fóruns de discussão – para citar alguns exemplos – que potencializem a função do vídeo como cerne da sua metodologia e-learning.

 

6. Realize um benchmark

Procure saber o que a concorrência direta e indireta está fazendo em vídeos. Pesquise bastante, converse com profissionais da área, vá atrás de congressos sobre o tema. Essas são algumas dicas importantes para que você aplique conhecimentos alinhados ao que há de melhor no mercado.

 

7. Mensure os resultados

Uma estratégia de educação corporativa bem executada tem como pano de fundo a mensuração dos resultados. Crie metas e indicadores de performance que façam sentido na ponta. Ou seja, entenda como as suas videoaulas estão influenciando, na prática, os resultados e KPIs da sua empresa.

  • About The Author: User

    More posts by